Tudo pronto: o comer fora e o prazer reinventado - Curitiba (1970-2000).

Imprimir | Enviar para um amigo

Autora: Cilene da Silva Gomes Ribeiro

RESUMO

Estudar a história dos restaurantes self-service por quilo é, além de um marco na transição alimentar, uma focagem brasileira dos processos de alimentação rápida, sempre atrelada aos critérios de se comer do melhor, com fartura, pelo menor preço, no menor tempo, do manter o tradicionalismo familiar e alimentar, da civilidade e da comensalidade. Compreender as relações entre as pessoas e os alimentos, focalizando as refeições feitas fora dos limites domésticos e as possibilidades de se fazer refeições fora de casa permitem novas interpretações do comer. A modalidade do comer fora, a partir do surgimento dos serviços a quilo, possibilitou à população maior acesso aos alimentos servidos por restaurantes comerciais e, portanto, gerando uma intensa busca pelos mesmos. Comer fora passou a ser, em muitas situações, mais barato do que produzir os alimentos dentro de casa, agregou variedade e fartura, com praticidade, e muitos consumidores, cada vez mais exigentes e com poder aquisitivo distinto, fizeram do comer fora não só uma opção para refeições durante os seus dias de trabalho, mas em todos os dias de suas vidas. Comer fora tem representado um processo contínuo nesta nova sociedade do trabalho, onde tempo é dinheiro. Com base nisso, este estudo analisa os restaurantes comerciais de Curitiba, especialmente os self-services por quilo, durante o período de 1970 a 2000, através dos relatos de proprietários, gerentes e consumidores dos mesmos. Nas fontes escritas, buscamos a compreensão de dados, lugares, cenas, situações políticas e econômicas das diferentes épocas do estudo, a fim de traçar o perfil da sociedade em diferentes percepções temporais.

Palavras-chave: restaurante por quilo, alimentação, tempo, fast-food, food service.


Versão completa




 

Universidade Federal do Paraná - História da Alimentação